Mantenedores

Fluído Refrigerante. Carga na medida certa! - Parte 1/2

Com a alta nos preços dos fluídos refrigerantes mais utilizados no mercado convêm agora que os técnicos repensem, nos mínimos detalhes, certos processos que hoje em dia, estão automatizados em sua rotina diária. Possíves detalhes (não conhecidos ou até mesmo ignorados para agilizar o serviço de manutenção) devem ser estudados novamente para que não haja prejuízo no bolso do técnico quando num atendimento que exija o uso de cilindros de fluído refrigerante.

Há também a questão do investimento correto em ferramentas para se utilizar no dia a dia de modo sábio. Como por exemplo saber a quantia de carga necessária (não abaixo e não acima) do que o sistema exige para um funcionamento adequado e; de ferramentas que identifiquem rapidamente pontos de vazamento que possam ser encontradas no sistema.

Um sistema com falta de refrigerante não preencherá todo o evaporador, resultando em pressões de sucção excessivamente baixas no compressor, causando perda de capacidade e um possível superaquecimento do compressor. Uma sobrecarga de fluído refrigerante pode inundar o condensador, resultando em altas pressões de descarga e possível sucção de fluído refrigerante no estado líquido para o compressor podendo causar a quebra deste. A maioria dos sistemas tern uma razoável tolerância para variações na carga, enquanto alguns sistemas pequenos podem ter cargas críticas, o qual é essencial para o funcionamento adequado.

Todo técnico tem que ter em mente que não se pode abrir a válvula do cilindro de fluído refrigerante sem ter um critério estabelecido. Se o técnico não sabe estes critérios, que podem ser através de cálculos de superaquecimento / subresfriamento, placa com quantidade de fluído refrigerante do equipamento, aplicativos de cálculo de carga de gás, boletins ou manuais informativos do equipamento, etc; enfim algum critério plausível para a carga de gás num sistema. Podemos dizer que este técnico usa o fluido refrigerante da mesma forma como usa a torneira de sua residência desperdiçando água.

E, basicamente é isto mesmo! Imagine uma torneira de água aberta. O que sai não é simplesmente água (fluído refrigerante), mas também dinheiro  que em breve sairá na forma de um boleto de cobrança (compra de mais um cilindro). Controlar isso é tudo e uma balança digital pode fazer com que você tenha surpresas ao final do mês nos seus 40 anos de serviço.

Outro ponto que também me questionam em treinamentos é: Como aproveitar aquele finzinho de fluído refrigerante do cilindro de modo que ele fique vazio. Na figura a seguir mostro um sistema de aquecimento por cinta, que pode ajudá-lo a não desperdiçar o residual do fluído refrigerante que fica no cilindro.

Agora um dos pontos que recomendo aos técnicos já colocarem na cabeça de seus clientes nos próximos anos e que irá doer mais no bolso do cliente final, mas é uma alternativa viável para que se evite fugas de fluído refrigerante do sistema e consequentemente o uso frequente destes em manutenções, é a utilização no projeto de tubulações com espessura maior (Tipo K), de modo que se minimize a perda de fluído refrigerante em trincas, micro furos ou anomalias do próprio material em tubulações de cobre.

Além de ser uma boa prática, esta mudança de cultura não só permitirá que seu cliente se salvaguarde deste tipo de problema como o técnico possa investir seu dinheiro em outros pontos de sua empresa e não só sobre cilindros de fluído refrigerante.

Abaixo segue uma tabela de aplicação que correlaciona a espessura da parede da tubulação de cobre com a aplicação, seja ar condicionado ou refrigeração, retirada da norma ABNT 7541. Também é mostrado os tipos de espessura das paredes de cobre desdeo Tipo M (espessura da parede mais fina) até a Tipo K (espessura da parede mais grossa).

No próximo artigo abordaremos mais detalhes do processos de manuseio do fluído refrigerante, quanto a carga na fase líquida e vapor, aplicativo e tambem falarmos um pouco de empresas de reciclagem e regeneração de fluídos refrigerantes.
Até mais!

 

Fernando C. Madalena | Supervisor de Suporte Técnico e Treinamento | Brasil

Emerson Commercial & Residential Solutions

Av Hollingworth, 325 | Sorocaba | SP | 18087-105 | Brazil

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

 

 

Entre para postar comentários

Social

Topo